Google

02 janeiro 2007

Diário de uma loira numa auto-escola

>
>> DIARIO DE UMA LOIRA NA AUTO-ESCOLA
>>
>>
>> 5 de Janeiro
>> Passei no exame de direção!
>> Posso agora dirigir o meu próprio carro, sem ter que ouvir as
>> recomendações dos instrutores, sempre dizendo :
>> "por aí é sentido proibido!",
>> "Vamos sair da contra-mão!",
>> "Olha a velhinha!",
>> "Freia! Freia!", e outras coisas do gênero.
>> Nem sei como agüentei estes últimos dois anos e meio...
>> _________________________________________________
>>
>> 8 de Janeiro
>> A Auto-Escola fez uma festa de despedida para mim!
>> Fiquei muito emocionada!
>> Os instrutores nem sequer deram aulas!
>> Um deles disse que ia à missa...
>> Juro que vi outro com lágrimas nos olhos e todos disseram que iam
>> embebedar-se, para comemorar.
>> Achei simpática a despedida, mas penso que a minha carteira não
>> merecia tal exagero.
>> Eles foram muito generosos!
>> Umas gracinhas mesmo!
>> ____________________________________________________________________
>> 12 de Janeiro
>> Comprei meu carro e, infelizmente, tive que deixá-lo na
>> concessionária para substituir o pára-choque traseiro pois, quando
>> tentei sair, engatei marcha ré ao invés da primeira.
>> Deve ser falta de prática!
>> Também... há uma semana que não dirijo...
>> ____________________________________________________________________
>> 14 Janeiro
>> Já tenho o carro.
>> Fiquei tão feliz ao sair da concessionária, que resolvi dar um passeio.
>> Parece que muitos outros tiveram a mesma idéia, pois fui seguida por
>> inúmeros automóveis, todos buzinando como num casamento.
>> Para não parecer antipática, entrei na brincadeira e reduzi a
>> velocidade de 10 para 5 km por hora.
>> Os outros gostaram e buzinaram ainda mais.
>> Foi muito legal...
>> ____________________________________________________________________
>> 22 Janeiro
>> Os meus vizinhos são impecáveis.
>> Colocaram posters avisando em grandes letras "ATENÇÃO ÀS MANOBRAS" e
>> marcaram, com tinta branca fluorescente, um lugar bem espaçoso para
>> eu estacionar e, para minha segurança e conforto , proibiram os
>> filhos de saírem à rua enquanto durassem as manobras.
>> Penso que é tudo para não me perturbarem. Ainda há gente boa neste
>> mundo...
>> ____________________________________________________________________
>> 10 de Fevereiro
>> Os outros motoristas tem hábitos estranhos.
>> Além de acenarem muito, estão sempre gritando.
>> Não escuto nada, por estar com os vidros fechados, mas parece que
>> querem dar informações.
>> Digo isto porque julgo ter percebido, através de leitura labial, um
>> deles
>> dizendo: "Vai para casa ".
>> Não sei como ele adivinhou para onde eu ia!
>> Acho isso espantoso.
>> De qualquer modo, quando eu descobrir onde fica o botão que desce os
>> vidros, vou tirar muitas dúvidas.
>> ___________________________________________________________________
>> 19 de Fevereiro
>> A Cidade é muito mal iluminada.
>> Fiz hoje meu primeiro passeio noturno e tive de andar sempre com o
>> farol alto aceso, para ver direito.
>> Todos os motoristas com quem cruzei pareciam concordar comigo, pois
>> também ligaram o farol alto e alguns chegaram mesmo a acender outros
>> faróis que tinham.
>> Só não entendi a razão das buzinadas.
>> Talvez para espantar algum bicho.
>> Sei lá.
>> ___________________________________________________________________
>> 26 de Fevereiro
>> Hoje me envolveram num acidente.
>> Entrei numa rotatória e como tinha muito carro (não quero exagerar
>> mas deviam ser, no mínimo, uns quatro !), não consegui sair.
>> Fui dando voltas bem juntinho ao centro, à espera de uma
>> oportunidade, de tal forma que acabei por ficar tonta e bati no
>> monumento no centro da rotatória.
>> Acho que deviam limitar a circulação nas rotatórias a um carro de
>> cada vez.
>> ___________________________________________________________________
>> 3 de Março
>> Estou em maré de azar.
>> Fui buscar o carro na oficina e, logo na saída, troquei os pés,
>> acelerando fundo em vez de frear.
>> Bati num carro que ia passando, amassando todo o lado direito.
>> O motorista , por coincidência, era o inspetor que me aprovou no
>> exame de direção. Um bom homem, sem dúvida.
>> Insisti em dizer que a culpa era minha, mas ele educadamente, não
>> parava de repetir para si mesmo:
>> "É tudo minha culpa!
>> É tudo minha culpa!
>> Que Deus me perdoe!"
>>
>> __________________________________________________
>>
>

Nenhum comentário:

Não deixe de ler também: